Edições do Prêmio

GESTÃO DE PESSOAS – DESENVOLVIMENTO

 OURO

Programa de formação profissional: Capacitação de mão de obra para Canaã dos Carajás e S11D

Empresa: Vale S.A. (PA)

Existem evidências de que há falta de mão de obra qualificada em vários setores da economia brasileira, sobretudo em atividades de qualificação técnica intermediária, gerando uma demanda por educação profissional. A necessidade de mão de obra qualificada é um desafio também na cadeia de mineração.

Dessa forma, considerando a complexidade do projeto S11D e o contexto do local onde o mesmo estava sendo desenvolvido – Canaã dos Carajás, no Pará –, observou-se uma lacuna entre a quantidade e qualidade da mão de obra planejada para operar a mina e a oferta de mão de obra local na região.

A partir de 2013, a empresa começou a enfrentar o desafio de contratar 1.919 empregados próprios até 2018 para atender o start up do S11D. Como solução, a Vale investiu no Programa de Formação Profissional, capacitando em Canaã dos Carajás através do programa de trainees de nível médio e técnico, jovens para trabalhar no projeto.

Dentre os resultados, houve um aproveitamento de 78% dos participantes da capacitação de trainees, ou seja, 463 jovens capacitados pelo programa foram efetivados pela empresa, representando, em 2017, 28% do quadro de empregados próprios.

Com investimento de R$ 3,5 milhões, e alinhada ao compromisso de fortalecimento social, a Vale mantém o programa de formação profissional como uma consolidada estratégia para o desenvolvimento de mão de obra da região e meio para contratação dos profissionais capacitados beneficiando a população de Canaã dos Carajás, estimada em 36.027 pessoas em 2017.

Contatos: saulo.prazeres@vale.com | vera.martins@vale.com | carmene.abreu@vale.com | janaina.pinheiro@vale.com | elizangela.souza@vale.com

 

PRATA

Programa de transferência de conhecimento internacional como diferencial estratégico em uma multinacional

Empresa: Estaleiro Jurong Aracruz (ES)

O Estaleiro Jurong Aracruz (EJA) é uma empresa brasileira subsidiária do Grupo Sembcorp Marine, de Cingapura.

Líder mundial em engenharia e construção, reparo e conversão de navios, plataformas de perfuração para a indústria offshore, o grupo chegou ao Brasil com expertise para atender às demandas nacionais e internacionais, entretanto com necessidade de formação de mão de obra local.

Nesse contexto, o EJA fez um acordo com o Instituto Federal do Espirito Santo (Ifes) e o Instituto Ngee Ann Polytechnic de Cingapura a fim de enviar profissionais brasileiros, de nível técnico, que já receberam um ensino de qualidade em disciplinas afins da área produtiva da empresa, tais como mecânica e elétrica, para se especializar em tecnologia naval e offshore. O objetivo é a formação de profissionais globais.

Com duração de 14 meses, o programa já enviou 119 trainees para Cingapura. Durante esse tempo, eles passam por um curso de aprofundamento em inglês, especialização na área naval/offshore e estágio nos estaleiros do grupo.

Contato: lucila.lopes@jurong.com.br

 

BRONZE

Universidade estendida e o desenvolvimento de capacidades de seus parceiros: Uma estratégia de negócio

Empresa: Gás Natural Fenosa/CEG (RJ)

O objetivo do case Universidade Estendida é demonstrar a solução criada pela Gás Natural Fenosa para ajudar na consecução dos objetivos do negócio, assegurando a formação das contratadas e fornecedores chave.

A proposta do Grupo GNF estende a oportunidade de capacitação da Universidade Corporativa aos funcionários de seus fornecedores: um modelo inovador de promover relacionamento entre diferentes públicos com o compartilhamento de conhecimento através de formações presenciais e online, garantindo formação qualificada com redução de gaps, mais homogeneidade e aderência aos procedimentos.

Como resultados, a empresa preservou a excelência operacional da Gás Natural Fenosa e reduziu a possibilidade de acidentes de trabalho, uma prioridade na atuação da companhia, que tem mantido em zero seu número de acidentes.

Para as empresas contratadas, houve aumento de 2% de entregas dentro dos prazos, redução de 6% no custo de produção e aumento de 54% no faturamento/funcionário.

Para os profissionais, os benefícios foram a inclusão de novas competências, o aumento de autoestima e a incorporação em seus currículos de um patrimônio permanente em qualquer atividade que desenvolvam.

Contato: milene@gasnaturalfenosa.com

 

GESTÃO DE PESSOAS – ADMINISTRAÇÃO

OURO

Meu Canto – Implantação de Ambiente Colaborativo Utilizando Design Thinking

Empresa: Vale S.A. (MA)

O ambiente colaborativo Meu Canto tem como motivador o desafio de oferecer um espaço que estimule a integração de empregados e a construção de propostas inovadoras em equipe. A iniciativa consiste em, a partir de um trabalho de escuta com o público interno para o alinhamento de expectativas, estruturar espaço interno com elementos que favoreçam a produtividade e o engajamento através da inovação.

Para a sua implementação foram utilizadas a abordagem do design thinking na captura de propostas e as premissas de coworking, tanto para a operacionalização do projeto quanto para a funcionalidade depois de implementado.

O trabalho foi implantado em uma das áreas de suporte às equipes de empregados que trabalham no Terminal Marítimo de Ponta da Madeira da Vale em São Luís, que possui cerca de 1.900 empregados próprios e 550 terceiros, com funções diversas associadas ao descarregamento dos vagões de minério que chegam pela Estrada de Ferro Carajás, além da estocagem e embarque desse material.

O principal resultado obtido foi a satisfação dos empregados com o novo espaço. Em pesquisa realizada, mais de 95% dos respondentes concordam que a implantação do projeto contribuiu para promover maior integração entre pessoas e estimular cultura de inovação e 100% dos avaliados tiveram suas expectativas atendidas ou superadas e também recomendariam a implantação do projeto em uma outra área.

Outros resultados obtidos até a data da publicação do trabalho foram 27 laboratórios de inovação realizados, 13 meetups e cerca de 738 pessoas impactadas com os benefícios do projeto.

Contatos: gabriela.castro@vale.com | jose.raimundo.junior@vale.com | wellington.jesus@vale.com

 

PRATA

Centro de Treinamento Vivencial de Segurança (DOJO)

Empresa: Moto Honda da Amazônia (AM)

Ao fundar a Honda Company, Soichiro Honda e Takeo Fujisawa criaram também a filosofia na qual a essência principal é o respeito ao indivíduo. Essa valiosa filosofia deve ser totalmente compreendida, respeitada e praticada mundialmente por todos colaboradores da Honda.

Além do grande respeito ao indivíduo, Soichiro Honda valorizava muito a segurança no trabalho e criou a frase: “Sem segurança, não há produção”. Baseado nesse sentimento coletivo, de produzir sem acidentes, a Moto Honda da Amazônia, investe pesado na segurança e saúde de seus colaboradores e uma de suas ações foi criar um Centro de Treinamento Vivencial de Segurança – DOJO, inaugurado em 2016, na sede que fica em Manaus.

Nesse espaço, os colaboradores têm a oportunidade de simular os principais perigos existentes na fábrica, com o uso de simuladores desenvolvidos internamente, a fim de fazer com que as pessoas sintam as consequências dos riscos aos quais estão expostas.

Desde a inauguração, em julho 2016, aproximadamente 3 mil colaboradores passaram pelo treinamento. Essa atividade, em conjunto com outras ações, ajudou a companhia a reduzir em 50% o número de acidentes de trabalho, o que prova que o DOJO ajudou de forma efetiva a aumentar a percepção de riscos dos colaboradores.

Contato: eduardo_alves@honda.com.br | daniella_sampaio@honda.com.br

 

BRONZE

Desenvolvimento Contínuo – Aprimorando a atenção e memória dos colaboradores como forma de minimizar os erros e impactos nos processos

Empresa: Laboratório Bioclínico (ES)

O estudo foi desenvolvido a fim de retratar a implantação e desenvolvimento do primeiro ciclo do projeto de Atenção e Memória do Laboratório Bioclínico, que ocorreu de novembro de 2015 a maio de 2017.

O projeto teve como principal objetivo desenvolver os colaboradores que necessitavam aprimorar essas competências, minimizando, assim, os erros nos processos. Os colaboradores foram identificados pelo RH no ato da contratação por meio da Avaliação Psicológica ou a partir do instrumento de Feedback Semestral aplicado pelos líderes de setor/unidades.

Para aplicação do projeto, foi escolhida a metodologia lúdica, utilizando exercícios e jogos, visando assim, a atratividade dos participantes. Os encontros aconteceram quinzenalmente, com grupos de até sete pessoas.

A cada seis meses, os colaboradores foram reavaliados pelos gestores, a fim de acompanhar o desenvolvimento individual. Ao final, notou-se que 68% das pessoas apresentaram melhora em relação à atenção e 95% no quesito memória, o que indica que o trabalho aplicado foi eficiente e eficaz.

Além disso, percebeu-se melhora no relacionamento interpessoal dos colaboradores participantes com os demais empregados da empresa, ou índice de turnover diminuiu consideravelmente, e metas do planejamento estratégico da empresa foram alcançados.

Contato: rh@bioclinico.com

 

GESTÃO DE PESSOAS – SUSTENTABILIDADE

OURO

Programa AGIR EFC: consolidando a Rede Mulheres do Maranhão

Organização: Fundação Vale

O AGIR EFC (Apoio à Geração e Incremento de Renda) é um programa estruturante da área de geração de renda que busca, sobretudo, a transformação positiva e a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

A iniciativa abrange empreendimentos sociais ao longo da Estrada de Ferro Carajás (EFC) e apoia, principalmente, as mulheres empreendedoras que vendiam seus produtos, de forma informal e insalubre, nos trilhos do trem ao longo da ferrovia, as chamadas “bandequeiras”.

Entre os resultados, o programa já deu origem a Rede Mulheres do Maranhão, que promove encontros entre as mais de 170 empreendedoras envolvidas, buscando a autonomia, a troca de experiências, a discussão de problemas e soluções, a aquisição conjunta de insumos e matéria-prima e o acesso a mercados complexos, dentre outros.

Um dos desafios de um programa dessa natureza e complexidade é a busca permanente pelo engajamento das pessoas envolvidas. Contudo, os resultados do AGIR EFC já se mostram promissores e indicam que metas importantes estão sendo atingidas, tais como a autonomia, a equidade de gênero e a inclusão socioprodutiva e, consequentemente, o alívio, ou mesmo a erradicação, da condição de pobreza extrema na região.

Parcerias já foram estabelecidas, tanto como o poder público quanto privado, e o empoderamento econômico das mulheres já são realidade, mostrando que o AGIR EFC tem cumprido com seus objetivos maiores que são a melhoria da qualidade de vida das pessoas envolvidas e a promoção do desenvolvimento em uma das áreas mais vulneráveis da região Amazônica.

Contato: marcus.finco@vale.com

 

PRATA

Programa Senai de Ações Inclusivas – PSAI

Organização: Senai – Departamento Regional do Amazonas (AM)

O Senai – Serviço Nacional Aprendizagem Industrial tem como missão promover o desenvolvimento social e econômico por meio da educação profissional, da tecnologia e inovação, voltadas a necessidade da indústria. Desde o início de suas atividades, sempre prestou algum tipo de atendimento à diversidade, mesmo antes da implantação do Programa SENAI de Ações Inclusivas – PSAI.

O PSAI foi criado com o objetivo de promover o acesso e a inclusão de pessoas em situação de vulnerabilidade pessoal e social, nos cursos de educação profissional, qualificando para o mercado de trabalho. A cada ano, vem fortalecendo suas ações no Departamento Regional, ampliando seus atendimentos e sua rede de apoio.

O programa atende às vertentes: gênero, etnia/raça, maturidade/idosos e pessoas com deficiência, com o objetivo de garantir os processos de ensino e aprendizagem, com ambientes adequados e docentes preparados para atuarem com a diversidade, reconhecendo as especificidades e peculiaridades de cada sujeito.

Contato: tatyanne.santos@am.senai.br

 

GESTÃO DE PESSOAS – JOVEM

OURO

Escola da Indústria

Empresa: Positivo Tecnologia (PR)

O programa de Treinamento e Desenvolvimento focado na capacitação técnica da área industrial da empresa foi desenvolvido em 2015. Na época, como reação ao cenário econômico, houve reestruturação e redução do budget em T&D, na qual a prática era realizar o planejamento estratégico internamente e terceirizar a produção e aplicação de conteúdo. A Escola da Indústria foi a solução encontrada e acabou por marcar o início da internalização dos processos de treinamento da empresa.

A iniciativa se estendeu para outras áreas e hoje atende a toda organização em cursos técnicos, comportamentais, administrativos e personalizáveis. Em 24 meses, mais de 1,5 mil colaboradores foram treinados em um ou mais cursos. No período, houve economia estimada em R$ 536 mil com a produção e multiplicação de conteúdo internamente. O nível de satisfação dos participantes manteve-se no período acima de 97% entre ótimo e bom, superior aos obtidos com consultoria externa.

Com esse resultado, foi possível compreender que quando o facilitador conhece a cultura, fortalezas e limitações da empresa aumenta sua assertividade na condução do conteúdo junto ao colaborador.

O programa também se destacou pela inovação em processos de desenvolvimento, sendo o primeiro na área de treinamento a utilizar soluções gamificadas, storytelling, apresentações de impacto, Lego Serious Play, sala de aula invertida e outras práticas arrojadas.

Contato: danieleo@positivo.com.br

 

GESTÃO DE PESSOAS – ACADÊMICA

OURO

A análise dos fatores críticos em gestão de pessoas para a implementação da responsabilidade social em uma instituição federal de ensino

Autora: Rita de Cassia de Jesus
Orientadora: Profª Drª Stella Regina Reis da Costa
Instituição: UFF— Universidade Federal Fluminense (RJ)

Os novos desafios derivados do aumento da competitividade nas empresas em âmbito mundial, dentre eles, a prática da responsabilidade social, expandiram o papel da gestão de pessoas, do gestor especialista em administração ao parceiro de ajustes das estratégias institucionais, com a adoção de códigos de conduta relacionados à preservação do meio ambiente, às condições de trabalho e ao respeito aos direitos humanos.

No trabalho vencedor, a proposta foi analisar quais fatores críticos em gestão de pessoas são necessários para a implementação da responsabilidade social em uma instituição federal de ensino.

A instituição analisada possui 2,6 mil servidores e o trabalho foi desenvolvido como 176 gestores. A metodologia utilizada foi a de estudo de caso utilizando como instrumento de pesquisa um questionário com um recorte geográfico limitado à instituição pesquisada.

Verificou-se, nos dados levantados, a carência de treinamento e capacitação nas questões sociais, a necessidade de uma gestão mais participativa e melhorias no armazenamento de informações, visando à construção da memória organizacional.

Concluiu-se, assim, que as contribuições propostas podem diminuir as dificuldades no problema abordado, propiciando melhorias nos processos sociais através de maior eficiência da gestão na instituição.

Contato: ritacassia@cp2.g12.br